Logo


Você está em: Inicial > noticias > noticias-relacionadas > exibir.php

 
Maximizar


Avaas: Última esperança por Justiça no Afeganistão. ASSINE A PETIÇÃO



26/08/2013

 

Caros amigos, 
 



No Afeganistão, políticos conservadores querem aprovar uma lei para garantir que membros da família de um réu nunca possam servir como testemunhas em um tribunal. Era o que faltava para que mais mulheres e crianças sofram abusos dentro de suas próprias casas. Mas alguns políticos estão lutando contra essa proposta e disseram à Avaaz que nossas vozes podem fazer a diferença! Apoie as mulheres afegãs e compartilhe esta campanha com todos: 


Assine a petição

Vendida como noiva aos 12 anos, Sahar Gul vivia em uma casa do terror. Os parentes de seu marido a mantinham presa no porão, espacavam-na com canos de ferro quente e deixavam-na passar fome. Quando ela se recusou a se prostituir para conseguir dinheiro para eles, seus torturadores arrancaram suas unhas. 

A sentença dos seus agressores foi reduzida a apenas 1 ano de prisão e eles estão livres novamente! Pior ainda: a Câmara dos Deputados de seu país aprovou uma lei que proíbe que membros da família dos agressores testemunhem a violência em um tribunal. Isso fará com que inúmeras crianças e mulheres jamais consigam Justiça para seus casos. 

Temos poucos dias para impedir este ataque aos direitos das mulheres. Em outras oportunidades, o Senado afegão já conseguiu barrar projetos assim e funcionários de alto escalão nos disseram que a comunidade da Avaaz pode dar o empurrão de que eles precisam para ajudar a barrar essa proposta antes que ela seja levada a plenário para votação. Assine a petição com urgência -- quando alcançarmos 1 milhão de assinaturas vamos lançar uma campanha publicitária local com foco nos principais Senadores até que essa proposta seja enterrada: 

https://secure.avaaz.org/po/justice_for_afghan_women_loc/?bLjabdb&v=28381 

Quando era criança, Sahar Gul foi vendida pelo seu irmão por US$ 5 mil e levada para uma casa terrível onde era abusada regularmente. Quando finalmente foi resgatada, as torturas a haviam deixado tão fraca que ela teve de ser tirada do cativeiro no porão com o auxílio de um carrinho de mão. Após terem sido condenados a sentenças que juntas somavam 10 anos de prisão, seus torturadores foram posteriormente libertados por um juiz de uma instância inferior. 

Horrorizados diante do retrocesso dos seus direitos, grupos feministas afegãos passaram a apoiar ativamente o caso da jovem Sahar e a trabalhar juntos para garantir que familiares não sejam proibidos de testemunhar contra os agressores da própria família. Se nos unirmos a estas mulheres agora, poderemos mostrar aos políticos afegãos que todo o mundo apoia elas nesta luta

De volta à escola, Sahar segue corajosamente reconstruindo sua vida. Seu sonho? Dirigir uma organização de defesa dos direitos das mulheres. Sua força de espírito é conduzida pela esperança por um futuro melhor para todas as mulheres e crianças do Afeganistão, e de todos os cantos do mundo. Vamos ajudá-la a começar a realizar este sonho, fazendo com que os políticos afegãos protejam, e não atacar, as mulheres de seus país

https://secure.avaaz.org/po/justice_for_afghan_women_loc/?bLjabdb&v=28381 

No Afeganistão, ativistas pelos direitos das mulheres e os sobreviventes de abusos têm dado vários passos na luta pelos direitos humanos. Ao longo dos anos, membros da Avaaz de todo o mundo têm apoiado esta luta pela plenitude destes direitos. Vamos dar nosso apoio mais uma vez! 

Com esperança e determinação, 

Luis, Alaphia, Alex, Ricken, Bissan, Mais e toda a equipe da Avaaz 

PS - Muitas das campanhas da Avaaz foram criadas por membros da nossa comunidade! Crie a sua campanha agora e obtenha a vitória sobre qualquer questão, seja ela local, nacional ou global: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?bgMYedb&v=26859 


Mais informações: 

Sahar Gul: Os medos de uma noiva adolescente torturada no Afeganistão (em inglês) (BBC)
http://www.bbc.co.uk/news/world-asia-23311414 

Juízes afegãos libertam 3 homens condenados por torturarem a "noiva criança" Sahar Gul (em inglês) (Guardian)
http://www.guardian.co.uk/world/2013/jul/11/afghan-judges-free-sahar-guls-torturers 

Mulheres enfrentem mais obstáculos no Afeganistão (em inglês) (Global Post)
http://www.globalpost.com/dispatches/globalpost-blogs/rights/womens-rights-face-new-obstacles-afghanistan 

Direitos das mulheres estão a regredir no Afeganistão (Euronews)
http://pt.euronews.com/2012/12/11/direitos-das-mulheres-estao-a-regredir-no-afeganistao/ 

Homem mata mulher por ir ao mercado sem permissão (Terra Brasil)
http://noticias.terra.com.br/mundo/asia/homem-mata-mulher-por-ir-ao-mercado-sem-permissao,7c0e55031bd60410VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html 

Afeganistão: Um inferno para as mulheres (Revista Veja)
http://veja.abril.com.br/190510/afeganistao-inferno-para-mulheres-p-140.shtml 

Apoie a comunidade da Avaaz!
Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas:   Doe Agora



 



A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 25 milhões de pessoas que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção" em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 18 países de 6 continentes, operando em 17 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhasaqui, nos siga no Facebook ou Twitter.

Você está recebendo essa mensagem porque assinou a campanha "Fim à Escravidão no Brasil" no dia 2012-04-27 usando o seguinte endereço de email: adoniaprado@hotmail.com.
Para garantir que as mensagens da Avaaz cheguem à sua caixa de entrada, por favor adicione avaaz@avaaz.org à sua lista de contatos. Para mudar o seu endereço de email, opções de idioma ou outras informações pessoais, entre em contato conosco, ou clique aqui para descadastrar-se.


Para entrar em contato com a Avaaz, não responda este email, escreva para nós no link www.avaaz.org/po/contact.



Rede Social
Youtube
Facebook
Twitter
 
Movimento Humanos Direitos ® Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Mapa do Site.
Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia