Logo


VocĂȘ estĂĄ em: Inicial > noticias > noticias-relacionadas > exibir.php

 
Maximizar


MTE flagra trabalho escravo em obra de shopping em Recife



02/03/2012

Razão Social: O Globo blogs
Enviado por Camila Nobrega - 17.02.2012 | 19h05m

Seis trabalhadores foram resgatados de uma situação de trabalho análoga à escravidão nas obras do Shopping Riomar, em Recife. Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, o resgate é fruto de uma operação de fiscalização na Zona Sul de Recife, iniciada dia 13 deste mês.

 

Segundo auditores do MTE responsáveis pelo resgate, os empregados foram alojados em condições precárias, alguns sem salário há quarenta dias e com Carteira de Trabalho retida na sede da empresa, que fica no Paraná. Não dispunham de água potável para beber, de roupas de cama, além de dormirem sobre colchões sujos e até mofados diretamente sobre o chão. Nenhuma medida de higiene e limpeza foi observada no local, onde a empresa não fornecia sequer papel higiênico. Parte dos trabalhadores está nesta condição desde novembro/2011 e outra desde janeiro deste ano.


Os funcionários foram contratados pela Mastel Montagem de Estruturas Metálicas Ltda, e são oriundos dos estados de Minas Gerais, Piauí, e Paraná. As obras de construção do Shopping Riomar é de responsabilidade dos empreendimentos do Grupo JCPM, em Pernambuco. No canteiro de obras, trabalham aproximadamente 2.200 trabalhadores, sendo mil deles terceirizados. A equipe do MTE foi coordenada pelo auditor Carlos Silva, em conjunto com a procuradora do Trabalho, Débora Tito. Os trabalhadores denunciam que chegaram a comer até mesmo macarrão e feijão azedos nas refeições oferecidas pela empresa. A empresa também não emitiu Certidão Declaratória de Transporte de Trabalhadores Urbanos, medida utilizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego para combater o aliciamento de mão de obra. 

A equipe de fiscalização embargou a obra do Shopping Riomar e interditou o alojamento dos trabalhadores da MASTEL. Em retorno ao local de trabalho e alojamento, os auditores constataram que os trabalhadores continuavam nas mesmas condições de alojamento, o que implicou em lavratura de auto de infração por desrespeito à interdição e o remanejamento imediato dos trabalhadores para local adequado. A empresa informou hoje que os trabalhadores estão hospedados em um hotel da cidade, com endereço conhecido pela equipe de fiscalização. 

O resgate dos trabalhadores, que representa o pagamento das verbas rescisórias, emissão de guia de seguro desemprego especial para trabalhador resgatado e o retorno deles para suas cidades está determinado para ocorrer no próximo dia 20. Vários documentos relacionados à contratação dos trabalhadores e à prestação dos serviços foram apreendidos e estão sendo analisados, para continuação da presente ação de fiscalização.



Rede Social
Youtube
Facebook
Twitter
 
Movimento Humanos Direitos ® Todos os direitos reservados. PolĂ­tica de Privacidade. Mapa do Site.
Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia