Logo


Você está em: Inicial > noticias > mhud-na-midia > exibir.php

 
Maximizar


Julgamento de Diolinda - Diário de São Paulo



04/11/2003

Tribunal manda soltar Diolinda
Diário de SP- São Paulo, 04/11/2003
Leonardo Fuhrmann, Pablo Pereira

Líder sem terra foi presa em 10 de setembro. Outros 9 lideres também foram beneficiados. Rainha aguarda hábeas-corpus que será julgado hoje

As 15 presas que dividiram a cela da cadeia de Piquerobi, no Pontal, com Diolinda Alves de Souza, por quase dois meses, comemoraram ontem a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo de mandar soltar a líder do Movimento dos trabalhadores Sem Terra (MST). “As companheiras festejaram a minha saída”, afirmou Diolinda, à noite, ja em casa na companhia da filha Sofia, de dois anos.

O marido dela, Jose Rainha, também beneficiado na decisão de ontem, com outros nove militantes do MTS condenados por formação de quadrilha, permanece preso. Rainha responde a outro processo, por porte ilegal de arma, cujo hàbeas-corpus serà julgado hoje, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília.

Diolinda afirmou que vai retornar a luta de MST. “A gente não pode negar as origens”, disse. “Conversei muito com as meninas na cadeia. Tem 44 mulheres num espaço de 18. Elas me trataram muito bem e perguntavam muito sobre o MST”, contou Diolinda. “Agora vamos esperar a libertação do Rainha”, disse.

Alem de Diolinda, o habeas-corpus liberta Felinto Procopio dos Santos, o Mineirinhio, e anula os pedidos de prisão contra Sergio Pantaleao, Manoel Messias Duda, Cledson Mendes da Silva, Roberto Rainha, Marcio Barreto, Jose Eduardo, Gomez de Moraes, Zelitro Luz da Silva e Valmir Rodrigues Chaves. “Não houve fato novo que justifique a prisão”, disse o desembaçador Pires Neto.

Ontem, as atrizes Leticia Sabatella e Beth Mendes e o ator Leonardo Viera acompanharam o julgamento no Tribunal paulista, assim como o presidente da CUT, Luiz Marinho. ”Mais do que a liberdade dos militantes, , esse julgamento mostra que o MST deve ser respeitado como o movimento social legitimo que e”, disse Letícia, que criticou o juiz Atis de Araujo. “Ele se refere ao movimento com agresividade e tem o objetivo de denegrir a imagem deles”, afirmou.

Leticia lembrou que os fazendeiros condenados pela morte de sem-terra Juao Canuto,   no Para, estao recorrendo da condenacao em primeira instancia em liberdade. “Eles sim que deveriam estar presos. Nao ha qualquer acusacao de crimes de morte contra os sem-terra. Conheco eles, ja fui aos acampamentos. Acompanhei meu marido (o ator Angelo Antonio) quando ele fez o documentario “A Cerca” (2001), sobre uma ocupacao no Pontal”. Marinho tambem comemorou.

“Visitei eles na prisao e estava torcendo. Vamos ver agora a decisao sobre o Rainha”, disse Marinho. A tarde, deputatos e vereadores do PT entregaram uma representacao ao presidente do TJ, Sergio Nigro da Conceicao, contra Atis de Araujo. Nigro encaminhado o caso a Corregedoria do TJ.
Com Everaldo Gouveia

 Entrevista

Joao Paulo de Souza Rainha, de 10 anos, filho dos lideres do MST Jose Rainha Junior e Diolinda Alves de Souza, aguardava ontem, com ansiedade, o reencontro com a mae. Ele recebeu a noticia de liberacao de Dioldina quando paritipava do 3-o Encontro Estadual dos Sem Terrinha e dos Sem Tetinho, em Sao Paulo, que reune cerca de 700 criancas tambem do Movimento dos Sem Teto (MTST). Ontem, eles foram visitados por artistas como Leticia sabatella, Leonardo Vieira e Beth Mendes. O encontro dos sem-terrinha e sem-tetinho termina amanha.

- Por que voce veio por esse encontro?
- Minha mae falou que eu viesse tranquilo que ela viria me encontrar, caso fosse libertada. Agora vamos esperar para ver se ela vem para Sao Paulo ou eu volto para casa.

- Como foi a comemoracao pela libertacao de sua mae?
- Falaram que havia uma surpresa pra gente e ficaram fazendo misterio. Quando contaram que era a libertacao de minha mae e do Mineirinho (Felinto Procopio, pai de Janaina, tambem presente ao encontro) comecamos a gritar: Libertade para os presos politicos do MST.

- Como viveu esse periodo?
- Minha tia Lourdes, que foi casada com Bertoldo, irmao do meu pai, ficou la em casa. Minha irma, Sofia, tem 2 anos, e muito apegada a ela. Continuei na escola, estou na 4-a serie e estudo no C|entro Educacional Delfos.

- Seus colegas perguntam sobre o prisao de seus pais?
- Sim. Digo que meu pai esta preso porque defende os pobres. Se defendesse os ricos, estaria aqui com a gente.

- Voce acostuma acomanha-lo aos acampamentos?
- Sim. So nao estava com ele no dia que foi baleado. Eu estava dormindo quando ele saiu. Se tivesse la com ele, meu pae tinha morrido, pois ele tentaria me salvar, e nao ia conseguir correr, como fez.
(Leonardo Fuhrmann)


Foto: Lawrence Bodnar/Diário



Rede Social
Youtube
Facebook
Twitter
 
Movimento Humanos Direitos ® Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Mapa do Site.
Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia