Logo


Você está em: Inicial > noticias > mhud-na-midia > exibir.php

 
Maximizar


O Ministro Vannuchi lança livro sobre mortos e desaparecidos políticos e abre exposição sobre Rubens Paiva



20/12/2010

O Ministro Vannuchi lança livro sobre mortos e desaparecidos políticos e abre exposição sobre Rubens Paiva, nesta 3ª feira (21), no Rio de Janeiro (RJ)

http://www.direitoshumanos.gov.br
20/DEZ/2010

O ministro Paulo Vannuchi, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), participa nesta terça-feira (21), no Rio de Janeiro (RJ), do lançamento do livro “Habeas Corpus” e da exposição sobre o ex-deputado Rubens Paiva, desaparecido na década de 1970 no contexto da ditadura.

O livro “Habeas Corpus – a Busca dos Desaparecidos Políticos no Brasil” sistematiza e resume todas as informações recolhidas ao longo de décadas a respeito da possível localização dos restos mortaisde mortos e desaparecidos políticos. O esforço, coordenado pela SDH, teve o auxílio dos familiares das vítimas, ex-presos políticos e ativistas.

“O livro leva o foco para os desaparecimentos forçados ocorridos no País durante o regime que vigorou entre 1964-1985, e a realidade enfrentada pelas famílias, companheiros e amigos dessas pessoas que até hoje não tiveram devolvidos os restos mortais”, explica o secretário executivo da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, Pedro Pontual.

O livro funciona como um primeiro guia para leitura e discussão entre os parlamentares que decidirão sobre aprovar ou não a criação da Comissão Nacional da Verdade. E, mais ainda, como um roteiro inicial para os próprios integrantes dessa Comissão, caso seja aprovada pelo Legislativo.

“Resumindo as informações levantadas ao longo dos anos pelo empenho desses familiares, o livroresgata uma parte da história recente do País, expondo um lado que, justamente por ser sombrio, traz em si o paradoxo de nos provocar rejeição, mas ao mesmo tempo ser de conhecimento obrigatório para que se garanta a consolidação da democracia, afastando a possibilidade que um dia essas violações dos Direitos Humanos venham a se repetir”, complementa Pontual.

Exposição sobre Rubens Paiva – Rubens Paiva é um dos símbolos dos desaparecidos políticos brasileiros. Ex-deputado federal, foi solidário aos que eram perseguidos pela ditadura. “E por isso pagou com a própria vida”, recorda o coordenador geral do projeto Direito à Memória e à Verdade da SDH, Maurice Politi. “Esta exposição traz momentos de sua vida familiar e profissional, assim como momentos na sua batalha pela democracia. A exposição põe em evidência, acima de tudo, umadívida do Estado brasileiro, ainda não resgatada”, complementa Politi.

O projeto Direito à Memória e à Verdade teve início em 2006, com a abertura da exposição fotográfica “Direito à Memória e à Verdade – A ditadura no Brasil 1964 - 1985", no hall da taquigrafia da Câmara dos Deputados, em Brasília. São registros de um passado marcado pela violência e por violações dedireitos humanos. Disponibilizar esse conhecimento é fundamental para o País construir instrumentos eficazes e garantir que esse passado não se repita nunca mais.

Movimento Humanos Direitos (MHuD) – Durante a cerimônia, que será realizada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Vannuchi também lançará o livro “Movimento Humanos Direitos: UmaHistória de Luta Coletiva”, a respeito do grupo que reúne artistas como Wagner Moura, Camila Pitanga, Letícia Sabatella, além de outros profissionais.

O livro é fruto de uma parceria do Movimento Humanos Direitos com a SDH, e reúne entrevistas publicadas com artistas na sete primeiras edições da Revista Direitos Humanos. O primeiro entrevistado foi Augusto Boal, valendo seu depoimento – talvez um dos últimos de sua vida – como antológica reconstrução histórica de toda uma trajetória militante, pouco antes de sua morte em maiode 2009.

Em seguida, veio Thiago de Mello, um dos maiores poetas brasileiros, perseguido político e exilado pelo regime ditatorial de 1964 tanto quanto Boal. Depois, outros grandes artistas como Paulo Betti, Chico César (excepcionalmente sem o MHuD entrevistando), Zezé Mota e Bete Mendes. O número 7, em dezembro de 2010, trouxe uma entrevista coletiva com mulheres do próprio MHuD: Camila Pitanga, Cristina Pereira, Dira Paes, Letícia Sabatela e Priscila Camargo.

Lançamento do livro “Habeas Corpus” e da exposição sobre Rubens Paiva
Data: 21 de dezembro de 2010
Horário: 10 horas
Endereço:Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro,Palácio Tiradentes, rua Primeiro deMarço, s/n, Centro, Rio de Janeiro (RJ)



Rede Social
Youtube
Facebook
Twitter
 
Movimento Humanos Direitos ® Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Mapa do Site.
Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia