Logo


Você está em: Inicial > atividades > historico > exibir.php

 
Maximizar


Documentário acompanha Trajetória de Sem-Terra.



01/10/2006

Documentário acompanha trajetória de sem-terra e mostra a ocupação da Amazônia brasileira

 Em busca de dinheiro, poder, ou simplesmente do tão sonhado pedaço de terra, lavradores, madeireiros, pistoleiros, pequenos comerciantes e garimpeiros empreenderam uma migração maciça para a Amazônia durante a década de 1970. Expedito Ribeiro de Souza, trabalhador rural de Minas Gerais, resolve entrar nessa aventura com a família. Ele parte para o Sudeste do Pará guiado pela notícia da reforma agrária nas redondezas, ouvida no rádio.

A saga de Expedito e seu engajamento na luta social e política na região do Araguaia, que o levaram a enfrentar ameaças de morte arquitetadas pelos fazendeiros locais, constituem o enredo de “Expedito: em busca de outros nortes”. O documentário, dirigido por Beto Novaes, é mais um resultado das iniciativas de cooperação técnica do Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural (NEAD) no tema “Memória e Cultura Popular”, envolvendo instituições acadêmicas de todo o país. Deste projeto participam três universidades, a Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Federal Fluminense (UFF) e a Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ).

O filme acompanha várias etapas da vida de Expedito. Passa pela infância, narrada por seus irmãos e irmãs, e pelo desmembramento da família, contado por sua mulher, filha e amigos. As grandes mudanças acontecem nos anos 1970, quando Expedito vai para a cidade de Rio Maria, a 300 Km da margem do rio Araguaia, perdendo o contato com os ramos familiares de Minas e do Espírito Santo. No Pará, Expedito acaba assumindo a presidência do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e entra num processo de violência rural, sendo várias vezes ameaçado de morte.

Os acontecimentos marcantes da época são retratados por meio de reconstituições e imagens de arquivo. “Estão presentes fatos históricos, como o presidente Médici inaugurando a Transamazônica”, explica o diretor do filme. Segundo ele, também são usadas imagens de eventos como o ocorrido em 1990, no Departamento Nacional de Trabalhadores Rurais da CUT, em São Paulo. “Sete meses antes de sua morte, Expedito relata, nessa reunião, sua luta e as ameaças que está sofrendo”, revela Novaes. Ainda são retratados o assassinato de Expedito, o processo judicial contra os mandantes e como sua morte repercutiu na junto aos integrantes da família.

Poucos sabem que Expedito era poeta e escritor. Essa face do protagonista também é construída e mostrada no filme, com seus próprios poemas funcionando como fio condutor da narrativa. A leitura dos trechos é feita por ninguém menos que Chico Buarque.

Segundo Beto Novaes, o filme está finalizado e aguarda o lançamento oficial. Juntamente com o documentário, será lançado um DVD contendo as entrevistas de Expedito na íntegra, durante um Congresso da CUT, e músicas da região do Araguaia. Enquanto isso, “Em busca de outros nortes” já está sendo divulgado em universidades e eventos. Os primeiros a assistir, no entanto, foram 40 membros da família de Expedito. “A reunião dos familiares se constituiu num momento emocionante. Lá descobrimos que Expedito foi uma espécie de semente, que continua viva, pois vários de seus parentes estão em partidos políticos e atuam em movimentos sociais”, conta Novaes.

Ficha técnica
"Expedito Em Busca de Outros Nortes"
Formato: Vídeo Digital * Direção: Beto Novaes e Aida Marques * Produção: Beto Novaes, Aida Marques, Adonia Prado, Rosilene Alvim e Ricardo Rezende * Argumento: Ricardo Rezende * Consultoria: Adonia Prado e Ricardo Rezende * Roteiro: Beto Novaes e Aida Marques * Pesquisa: Clarisse Viana, Beto Novaes, Aida Marques, Adonia Prado e Ricardo Rezende * Fotografia: Cleisson Vidal * Música: Marcos Souza * Leitura de poemas: Chico Buarque * Duração: 80 min * Brasil, 2006.
Sinopse: Documentário sobre a história de vida de um migrante sem terra. O filme, co-produção de professores da UFRJ, UFF e PUC-Rio, ajuda a compreender o processo de ocupação da Amazônia brasileira na ditadura militar e os problemas de concentração de terra e violência no campo brasileiro.

Lançamento em São Paulo, com participação de Leonardo Vieira, Padre Ricardo Rezende, Salete Hallack e Adonia Prado, amiga do MHuD.


Fotos: Salete Hallack



Rede Social
Youtube
Facebook
Twitter
 
Movimento Humanos Direitos ® Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Mapa do Site.
Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia