Logo


VocĂȘ estĂĄ em: Inicial > atividades > historico > exibir.php

 
Maximizar


Caravana do CREMEPE 2011



22/08/2011

Pernambuco, de 22 à 26 de agosto de 2011

Este foi o sétimo ano da Caravana do CREMEPE. Do MHuD participaram: Ricardo Paiva que também é coordenador do CREMEPE e Salete Hallack.
Ricardo supervisionou os seis grupos que visitaram 52 municípios e Salete acompanhou as visitas em: Carnaubeira da Penha, Mirandiba, Bodocó, Exu, Orocó, Cabrobó, São José do Belmonte e Verdejante.

Síntese do Relatório Final:

Notas Gerais:   Grupo:
 
1 - Helena/Hercilia                       5.0
2 - Andre/Miriam                          5.8
3 - Domingues/Fernanda          6.2
4-  Rafaela                                   5.9
5 - Mario Fernando                     4.5
6 - Carla                                       5.4 
                     Média geral            5.4 
 
 
GRUPO 1: HELENA
 
Moreilandia: lixo hospitalar/cidade, violência a mulher/falta d´água/transporte escolar ruim.
 
Granito: telecardio, mas sem desfibrilador/melhor escola estadual/assalto nas estradas.
 
Exú: 2 blocos cir., mas sem lavanderia e central de gás/muita droga/falta de médicos.
 
Bodocó: cárcere privado.
 
Santa Cruz do Capibaribe: bom hospital geral/boa escola estadual, com pesquisa sobre drogas.
 
Santa Filomena: unidade básica péssima.
 
Ipubi: falta d´água/transporte escolar inadequado.
 
Trindade: muita violência/crianças em sala com arma branca/unidade de saúde péssima.
 
 
  
GRUPO 2: ANDRÉ/MIRIAN
 
Cidades: Afrânio, Dormentes, Santa Maria da Boa Vista, Lagoa Grande, Orocó, Cabrobó, Itacuruba, Belém do São Francisco = cidades de 4 a 30 mil habitantes.
 
Itacuruba: grande incidência de depressão.
 
No geral: crack intensificado, sem CAPS AD regionais, sem fixação de profissionais/ PSF abandonado a tarde, carga horária 2 x semana/ violência a mulher e criança em toda região, excesso de machismo/ tem água mas sem distribuição.
 
 
 
GRUPO 3: LUIZ DOMINGUES/FERNANDA
 
Cidades: Carnaubeira da Penha, Mirandiba, Cedro, Serrita, Parnamirim, Terra Nova, São José do Belmonte, Verdejante.
 
Na região, problema com lixo, falta d´água, excesso de drogas (álcool, maconha, crack), alto índice de prostituição, sem médicos no fim de semana.
 
Destaque positivo para Secretaria de Saúde de Verdejante.
 
Problema sério nas estradas do Sertão do Pajeú.
 
 
 
GRUPO 4: RAFAELA
 
Cidades: Iguaraci, Carnaíba, Flores, Calumbi, Brejinho, Itapetim, Ingazeira, Afogados da Ingazeira, Quixaba.
 
Carnaíba: escola de música com 2 maestros para 300 alunos, boa escola, boa unidade de saúde.
 
Calumbi e Ingazeira: péssimas condições de saúde nos hospitais.
 
Afogados da Ingazeira: melhor discussão de debates de filme, pela politização da população.
 
No geral: serviços municipais ociosos, escala de plantações incompletas para médicos e enfermeiros, problemas na distribuição de água e péssima estradas, sendo pior para Afogados da Ingazeira. 
 
 
 
GRUPO 5: MARIO FERNANDO
 
Cidades: São José do Egito, Tuparetama, Triunfo, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Terezinha, Tabira, Solidão e Serra Talhada.
 
São José do Egito: faltam vacinas, sem médicos no PSF.
 
Triunfo: não há problemas de prostituição infantil e drogas, falta infra-estrutura no PSF, cidade com intérprete para libras.
 
Tuparetama: PSF sem lavatório (com pia sem sabão ou papel), violência crescente e estrada ruim, muito crack e abuso.
 
Santa Cruz da Baixa Verde: melhor unidade da saúde vista pelo grupo.
 
Tabira: hospital ruim, PSF precário, sem água, muita agressão a mulher, transporte pau de arara.
 
Solidão: bom hospital, mas sem RH e sem médico de plantão.
 
 
GRUPO 6: Carla Cristina
 
Cidades: Betânia, Custódia, Jatobá, Petrolândia, Tacaratu, Inajá, Manari, Ibimirim, Sertânia.
 
Sertão do São Francisco: péssimas estradas, problemas com compromisso por parte dos médicos.
 
Tacaratu e Sertânia: com concurso público e população satisfeita.
 
Nas demais cidades: médicos só em 2 ou 3 turno por semana.
 
Jatobá: hospital municipal em transição.
 
Petrolândia e Tacaratu: drogas, falta de diversão e índice de depressão elevado.
 
Inajá: PSF péssimo.
 
Manari: pior PSF, inclusive com banheiro interditado.
 
Ibimirim: 2 crianças assassinadas devido ao crack.
 
Cruzeiro do Norte: com muito ponto de drogas.
 
Sertânia: RX sem isolamento radioativo, muito crack.
 
 
SÍNTESE GERAL
 
Das 52 cidades visitadas, evidencia-se: falta d´água e/ou falta de distribuição da água; estradas péssismas, inclusive a de acesso de Ingazeira, que é cidade pólo, intensificação do uso do crack, permanência da violência a mulher e abuso sexual, precariedade dos serviços de saúde municipais, problemas de escalas incompletas por falta de concursos públicos e falta de compromisso de médicos.
De positivo: a cidade de Carnaíba, em positivo e em negativo, a cidade de Manari.
 
MÉDIA GERAL DA NOTA DADA PELA POPULAÇÃO AOS SERVIÇOS PÚBLICOS: como saúde, educação, lixo, emprego, violência, corrupção, diversão, entre outros = 5,4,  numa escala de 0 a 10.
 
RICARDO PAIVA

 

Reuniões nas escolas:

 

Nas ruas:

Fiscalizando Hospitas e PSFs:

 

 

 

 

 

 

Investigando denúncias:

   

 

Grupos:

 

 

Fotos: Salete Hallack

Mais informações em: www.cremepe.org.br



Rede Social
Youtube
Facebook
Twitter
 
Movimento Humanos Direitos ® Todos os direitos reservados. PolĂ­tica de Privacidade. Mapa do Site.
Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia