Logo


VocĂȘ estĂĄ em: Inicial > atividades > historico > exibir.php

 
Maximizar


MHuD promove debate e lança SITE - CCBB



09/05/2006

MHuD promove debate: Direitos Humanos, Cultura e Mídia e lança seu primeiro site.

Rio de janeiro, 09 de Maio de 2006.

O MHuD promoveu o terceiro Fórum de Direitos Humanos. A abertura do debate, no CCBB - Centro Cultural do Banco do Brasil, foi realizada pelo ator Marcos Winter que deu as boas vindas para uma platéia composta por um público variado. Entre os presentes, estavam Silvia Buarque, Chico Diaz, Beth Mendes, Wagner Moura e Alessandro Molon, além de jornalistas, professores, estudantes, donas de casa, Mineirinho do MST, Patrícia Audi, da OIT, e outros interessados no tema. 
A atriz Dira Paes coordenou uma mesa composta pelos seguintes conferencistas - Alcione Araújo, escritor, Cândido Grzybowski, diretor do IBASE, Chico Júnior, do AfroReggae, Luis Erlanger, direitor da Central Globo de Comunicações. O debate e o site fizeram sucesso.

O primeiro a falar foi Luis Erlanger, que demonstrou sua preocupação com a necessidade de investimentos na educação. A educação, para o jornalista, era uma das condições necessárias para a existência dos direitos humanos e citou exemplo de leitura de textos teatrais em favelas.

Em seguida falou o jornalista Chico Júnior a respeito de um Brasil que é desconhecido, um país que tem uma periferia que produz uma cultura pujante e deu alguns exemplos.

O terceiro a contribuir com o debate foi Cândido, do IBASE. Ele distinguiu legalidade e Direitos Humanos. Nem tudo que é legal é legítimo. Falar em Direitos Humanos, explicou o sociólogo, é falar de uma disputa essencial: Direitos Humanos se opõe a privilégios.

A Mídia, acentuou Cândido,  em geral não vai além da discussão dos direitos civis, não alarga o campo de discussões e, uma situação grave: boa parte da juventude só se informa pelos programas de televisão. Alcione Araújo, o último a falar, apresentou uma síntese da história dos direitos humanos, demonstrando que os direitos humanos são uma construção histórica. Constatou ainda que o ensino no país dá importância à técnica e à produtividade mas deixa em segundo plano, aspectos culturais. Um país que tem 185 milhões de pessoas, mas lamentou não está acostumado a ler e a ter acesso a alguns dos seus bens culturais. Professores recebem mal, não têm condições de comprar livros, ir ao cinema ou ao teatro. Como podem transmitir aos seus alunos esses valores, se eles próprios não têm acesso a tais bens e serviços? Observou que o MHuD é uma ONG especial, por ser sido criada por artistas, e sugeriu que ela incluísse entre as prioridades, além da erradicação do trabalho escravo, a Cultura como um direito de todos.

Houve um debate com intervenções calorosas e, finalmente, Dira Paes, apresentou com detalhes o site, cuja idealizadora foi Salete Hallack, e explicou algo sobre a história desse movimento que tem percorrido o país em ações de preservação de vidas e incentivo à promoção dos direitos humanos.

Ricardo Rezende






Fotos: Salete Hallack



Rede Social
Youtube
Facebook
Twitter
 
Movimento Humanos Direitos ® Todos os direitos reservados. PolĂ­tica de Privacidade. Mapa do Site.
Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia